Saiba tudo sobre a AIDS felina (FIV)

Embora muitas pessoas não saibam,a AIDS felina, muitas vezes chamada apenas de FIV, é uma doença razoavelmente comum e muito perigosa para gatos domésticos. Assim como acontece em humanos, é transmitida por um retrovírus complexo, gerando imunodeficiência no organismo.

Imunodeficiência é o termo utilizado para descrever a incapacidade de um corpo de desenvolve uma resposta imunológica normal a certas ameaças. É comum que gatos não demonstrem nenhum tipo de sintoma relativo à imunodeficiência por si só, mas comecem a desenvolver diversos outros tipos de doenças, infecções e, até mesmo, certos tipos de câncer.

O que um retrovírus, como o da AIDS felina, faz no corpo é inserir seu material genético no DNA das células de seus hospedeiros, onde começa a replicar-se. Na prática, a atuação do vírus do FIV é muito semelhante à do HIV, versão identificada como adaptada ao ataque do corpo humano.

Saiba mais sobre a AIDS felina, seus sintomas, causas e principais cuidados necessários para evitar ou garantir que o tratamento seja o menos traumático possível para o felino:

Sintomas da AIDS felina

Os sintomas da AIDS felina nem sempre são diretamente relacionados à infecção. É muito comum que estejam ligados a seus efeitos no corpo. Por isso, sua identificação costuma partir do fato de que o gato torna-se cada vez mais propenso a desenvolver condições precárias de saúde variadas, como problemas respiratórios e intestinais.

Além disso, linfonodos começam a ser observados com mais frequência, assim como inflamações nas gengivas e nos tecidos mucosos do animal. Estima-se que cerca de 30% dos felinos com FIV apresentam inflamações na área do nariz ou dos olhos.

A longo prazo, insuficiências nos rins e problemas crônicos são comumente observados, além de o gato tornar-se cada vez menos responsivo ao tratamento de doenças consideradas comuns e facilmente solucionáveis. Com o tempo, é comum a percepção do rápido desenvolvimento de sintomas de câncer.

Quais são as causas da FIV?

Como já mencionado, a AIDS felina acontece a partir da transmissão do retrovírus entre dois gatos. Há diferentes maneiras disso ocorrer, sendo a mais comum na transmissão física – especialmente durante brigas de gatos agressivos.

Arranhões, mordidas e troca de sangue são as causas mais comuns – o que torna gatos agressivos que vagam pela rua muito mais propensos a desenvolver a condição. Além disso, é possível que gatos adquiram o vírus no momento do nascimento, caso a mãe esteja infectada.

A transmissão sexual é possível, embora não seja exatamente comum. Ela só ocorrerá se o vírus estiver presente no sêmen de um gato macho infectado.

Como é feito o diagnóstico da AIDS felina?

O diagnóstico é feito a partir de exames físicos e da análise do histórico e dos sintomas de um gato. Por não ser uma doença rara, é bastante comum que o problema seja considerado logo de início, e que os testes sejam realizados para comprovar a infecção.

Geralmente, utiliza-se um exame de sangue completo, com contagem celular e, ainda, exame da urina do animal. É necessário identificar se não existem outras infecções que possam estar causando sintomas semelhantes, para evitar tratamento inadequado.

Tratamento da FIV

Em primeiro lugar, será necessário tratar as doenças e infecções secundárias, pois elas são potenciais riscos de complicações futuras que afetam a saúde de seu gato. Cirurgias podem ser necessárias para a redução de tumores, tecidos infeccionados e etc.

Além disso, será feito um constante tratamento medicamentoso para reduzir os riscos de contágio, e você precisará dar cuidado especial à alimentação e à exposição do animal aos riscos. Na prática, boa parte do tratamento consiste em evitar que a imunodeficiência seja colocada à prova através de infecções e novas doenças.

Estima-se que 20% dos gatos infectados morram cerca de cinco anos após a infecção, mas é comum que cerca de metade deles nunca cheguem a apresentar sintomas do doença. Por isso, é possível que seu gato tenha chances de viver um vida razoavelmente saudável, se não for exposto a muitos tipos de infecções possíveis.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *